Adriano Sardinha

Clarinete

Natural de Loulé, iniciou o seu percurso musical aos 8 anos de idade, tendo começado os estudos de clarinete aos 15 na Banda de Música da Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva e no Conservatório Regional do Algarve – Maria Campina, sob orientação dos professores Jennifer Brown, Marino Rivilla e Fausto Corneo, onde concluiu o 8ºgrau de Clarinete. Em 2010 ingressa na licenciatura em música, na variante de Clarinete na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, onde terminou com 19 valores. Sendo os seus orientadores os professores Pedro Ladeira e Carlos Piçarra Alves.

Realizou inúmeros cursos de aperfeiçoamento com prestigiados clarinetistas tais como: Eddie Vanoosthuyse, Sauro Berti, Jesus Villa Rojo, Carlos Alves, Juan Férrer, António Saiote, Ricardo Alves, Ricardo Freire, Valdemar Rodriguez, Victor Pereira, Paulo Gaspar, entre outros.

Em orquestra sinfónica e de sopros teve a oportunidade de trabalhar com a International Regions Symphony Orchestra, Junge Deutsch-Französische Phillarmonie, Orquestra Sinfónica da ESART, Orquestra da Região Leiria/Fátima, European Union Youth Wind Orchestra, entre outras. Nesta formação foi orientado por maestros reconhecidos no panorama nacional e internacional tais como: Ernst Schelle, Nicolaus Richter, Hermann Bäumer, Jean-Sebástien Béreau, Jan Cober, Jouke Hoekstra, Jonathan Grethen, Luís Carvalho, Francisco Ferreira, entre outros.

Em 2015 terminou o Mestrado em Ensino de Música na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco com a dissertação final de curso intitulada “O Percurso Académico do Aluno: a Importância da Postura”. Integra diversos grupos musicais de diferentes estilos, desde a música erudita à world music. Atualmente leciona na Academia de Música da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, na Orquestra Geração e na Academia de Música de Óbidos.